Turquia: Polícia atacou manifestantes que tentavam salvar feridos

O atentado mais mortífero da história recente da Turquia teve como alvo o cortejo do partido HDP numa manifestação pela paz e o fim dos ataques do governo aos curdos. O HDP denuncia que a polícia estava ausente do local quando as bombas explodiram, mas apareceu após 15 minutos para atacar os que tentavam socorrer feridos.

ESQUERDA.NET – 10/10/2015

Poícia ataca manifestantes que tentam socorrer feridos do atentado mais mortífero na história recente da Turquia.

O co-presidente do HDP, Selahattin Demirtaş, afirmou que este ataque não teve como alvo o estado turco nem a unidade nacional, ele foi perpetrado pelo estado contra o povo. Por essa razão, Demirtaş criticou os líderes mundiais que telefonam ao primeiro-ministro turco para transmitir condolências, defendendo que essas condolências devem ser transmitidas ao povo.

Em comunicado, o HDP – partido que entrou no parlamento turco nas eleições de junho e retirou assim a maioria ao AKP do presidente Erdogan, que decidiu marcar novas eleições para 1 de novembro – acusa a polícia de só ter chegado ao local da concentração quinze minutos depois das explosões e com o objetivo de atacar os manifestantes que socorriam os feridos.Ver imagem no Twitter

Ver imagem no TwitterVer imagem no Twitter

Numerous dead and injured reported. Police attacked to people who tries to carry away injured from the meeting field

A polícia turca usou gás lacrimogéneo e canhões de água sobre as vítimas do atentado, impedindo assim que muitos feridos pudessem ser levados do local para os hospitais mais próximos. O último balanço às 22h de sábado [hora de Lisboa] dá conta de 95 mortos e 246 feridos, 48 dos quais em estado grave.

A manifestação foi convocada por organizações sindicais com o apoio do HDP, que apoia os direitos do povo curdo, com o objetivo de pressionar o governo a parar com os bombardeamentos contra o PKK e retomar o caminho da paz com o regresso do cessar-fogo. O atentado ocorreu junto à principal estação ferroviária de Ancara, onde se concentravam os manifestantes vindos de fora da capital turca, quando se preparavam para seguir para a praça onde a concentração estava marcada.

(notícia atualizada com balanço do número de vítimas às 22h de sábado) 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s